A Função do Orgasmo

Estava quebrando a cabeça para dar um jeito de atualizar o blog no meio da semana, quando a menina-dos-meu-olhos comentou empolgada sobre o grupo de estudo com das colegas do curso de especialização em Bioenergética. Elas dividiram o livro A Função do Orgasmo em quatro partes e, em quatro encontros mensais dissecaram o bicho, pois no curso trabalharam o oitavo capítulo, mas decidiram ir além. No café-da-manhã, antes de seguir para o encontro com as amigas, minha Geórgia já compartilhava que Reich dizia que o prazer é a única atividade do corpo que gera energia positiva. À noite, eu espertamente a desafiei: “por que você não escreve isso para o Caótico?”. Deu certo e ela respondeu na lata: “Posso fazer isso hoje”. E fez, juntando nossas atividades, meu blog e seu estudo.

Dificilmente, teremos texto sobre livro mais adequado num blog que tenta compartilhar o prazer da leitura.

*****

por Geórgia Araújoafuncaodoorgasmo152214_rep

Em 1988, no meu segundo ano do curso de Psicologia na UFPE, comprei a 14ª edição de A Função do Orgasmo, de Wilhelm Reich, escrito quase 50 anos antes. Lembro que me encantei com as palavras de abertura do mesmo que diziam:

“O amor, o trabalho e o conhecimento são as fontes da nossa vida. Deveriam também governá-la”.

Os anos se passaram, as páginas do livro ficaram amarelas e dei conta que fiz uso apenas parcial do seu conteúdo até há algum tempo atrás, quando resolvi colocar um “V” maiúsculo na minha vida.

Vinte e um anos depois, no contexto da minha formação em Análise Bioenergética, precisei reler esse livro para a disciplina Teoria Reichiana. Já não me lembrava muito o seu conteúdo e, junto com as amigas Giannini e Rita, decidi iniciar um grupo de estudo a partir dele. Hoje pela manhã, encerrarmos a discussão sobre o seu conteúdo e conversamos sobre como Reich foi essencial para a existência atual de tantas modalidades de terapias corporais. Assim como Freud, falou e teorizou sobre questões que iam muito além da compreensão das pessoas que viviam na sua época.

Na função do orgasmo, Reich não nega as influências que a teoria Freudiana teve sobre seu pensamento, porém, enfatiza a relação do funcionamento do aparelho psíquico com as funções biológicas do organismo e a necessidade de um trabalho corporal para a liberação dos traumas vividos ao longo da vida, especialmente, nos primeiros anos.

Apresentando algumas “lacunas na Psicologia e na teoria do sexo”, Reich propõe a teoria do orgasmo e desenvolve a técnica da vegetoterapia de análise de caráter, algo que até então não existia.

Nesse livro, o autor fala da importância do prazer para o organismo, porém, não só de um prazer genital, mas de uma energia positiva que pode circular por todo o corpo e proporcionar sensações de bem-estar e satisfação para as pessoas.

Por outro lado, refere-se aos aspectos danosos da repressão sexual e ideológica na vida dos indivíduos e sugere técnicas terapêuticas de enfrentamento dessas questões.

Conceitos tais como couraça muscular, neurose, angústia e sofrimento se contrapõem a temáticas sobre liberdade, potência orgástica e satisfação. Respirar bem é uma condição importante e contribuir para que a nossa sociedade perceba a sexualidade de forma mais natural também.

Concluir essa leitura foi um prazer, ampliar meus conhecimentos me realiza pessoal e profissionalmente e re-significar a palavra amor a cada dia me enche de alegria.

Para Inácio França,

Com açúcar e com afeto!

Sobre o escritor

reich

Nasceu no dia 24 de março de 1897, na região da Ucrânia. Filho de pai judeu, sua mãe se suicidou quando ele tinha 13 anos. Era médico de formação, seguidor da Psicanálise e ligado ao Partido Comunista Austríaco. Por diferenças teóricas e por questões políticas, em 1934 foi expulso da Associação Internacional de Psicanálise. Vítima do macartismo americano, faleceu de enfarte numa prisão dos EUA, no dia 3 de novembro de 1957.

Enviar por email - Imprimir

4 Comments

  1. Ana de fátima disse:

    Oi Georgia, muito legal o texto.
    Acredito que o estudo foi muito prazeroso.
    O tema é curioso e que nós mulheres precisamos aprofundar.Conheço algumas que nunca tiveram o prazer de ter um….Triste , mas é verdade.
    Valeu tb a dica do livro
    Linda a dedicatória.!!!!!!!
    Um beijo para os dois

  2. Andréa L. Cavalcanti disse:

    Extremamente interessante o argumento, assim como a opniao de uma estudiosa qual voce é, Georgia.
    Eu e meu marido atual confirmamos a necessidade do orgasmo para o bem estar geral do individuo e de consequencia da sociedade.Toda jornada é mais tranquila quando dedicamos tempo também para este momento. A vida enfrentada de forma relaxada é muito mais gostosa de ser vivida, dando qualidade ao nosso viver.
    Porém o prazer, entendido como sensaçao, nao somente fisica mas sobretudo mental, segundo o nosso parecer deve ser re-aprendido. Uma sexualidade mais livre e menos vinculada aos prototipos indicados pela midia talvez seja o ponto de partida.
    Um significado profundo do “fazer Amor” seria talvez, a chave correta para percorrer de forma mais intima este percurso, individual e com o proprio partner.
    Eu, pessoalmente desejo que todos antes ou depois na propria vida, sejam capazes de escolher este modo melhor de amar.
    Precisa-se iniciar de nos mesmos.
    A voce, Georgia e a Inacio, desejo exatamente isto.
    Mas vcs ja se encontram na boa estrada!! rsrsrsrs

    Beijos da prima

  3. Suzana disse:

    Pois é, Geo. Infelizmente, atingir essa satisfação é tarefa cada vez mais difícil e relegada a segundo plano no nosso atribulado dia-a-dia. Estamos, de uma forma geral, respirando muito mal… quando conseguimos respirar, he, he… Bom parar um pouco pra sentir prazer e gerar essa energia positiva, ou – como diz a nossa amiga, “gastar existência”… Bjo,

  4. [...] amante, amiga, companheira… etc etc etc) escreveu aqui para o Caótico, sobre o livro A Função do Orgasmo, de Reich, está entre os 10 textos mais lidos ou acessados deste [...]

  5. [...] senhora, autora de outras duas resenhas campeãs de audiência aqui no Caótico, uma sobre A Função do Orgasmo e A Ciranda das Mulheres [...]

  6. aline aguiar disse:

    Olá Georgia,
    sou estudante de psicologia e estou com muita dificuldade para entender a teoria de Reich. Tenho uma prova amanha, 096, cai o capitulo V e VIII do livro “A Funçao do Orgasmo”, será na forma de caso, no estilo do caso da pagina 127, do livro, Será que vc pode me dar algumas explicaçoes básicas sobre como Reich desenvolvia sua analise de caso?
    Muito Obrigada!

2 Trackbacks

  1. [...] amante, amiga, companheira… etc etc etc) escreveu aqui para o Caótico, sobre o livro A Função do Orgasmo, de Reich, está entre os 10 textos mais lidos ou acessados deste [...]

  2. [...] senhora, autora de outras duas resenhas campeãs de audiência aqui no Caótico, uma sobre A Função do Orgasmo e A Ciranda das Mulheres [...]

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*